“O homem pode aprender a se construir como pai tanto como a mulher aprende a se construir como mãe”

Desde os primeiros enjoos, o primeiro atraso menstrual, as primeiras alterações hormonais a mamãe, gestante, já começa a se preparar psicologicamente e fisicamente para o bebê e acompanha, dia após dia, a existência especial que carrega. Se desenvolve, se prepara para a nova vida tanto quanto seu filho se prepara para nascer.

O pai acompanha a evolução de fora, como observador, mas para a mulher em constante transformação, ele deveria entender o que ela está sentindo, como também deveria estabelecer uma conexão com o bebê enquanto ele está em seu útero, mas a verdade é que tanto quanto não podemos explicar com palavras os nossos sentimentos e sensações, também não é – completamente – possível o pai compreender toda esta mudança.

empoderamento masculino - papel de pai- blog mae na moda

Ele terá sua grande chance quando o bebê nascer, então haverá ali as suas maiores oportunidades para esta relação Pai-Bebê através da convivência e dos cuidados diários. Mesmo que inseguro, mesmo que papai de primeira viagem, o homem pode aprender a se construir como pai tanto como a mulher aprende a se construir como mãe, por isso, é importante que ele tenha espaço para essa interação.

Não é papel da mãe/mulher esperar que isso aconteça somente quando ele tiver vontade, ela deve dizer e demonstrar que os cuidados dele para com o bebê são tão importantes quanto os seus cuidados de mãe, incentivando que ele esteja realmente presente, não só na hora das brincadeiras, troca de fraldas, ou na hora de fazer a mamadeira, mas que participe ativamente de todos os processos do cuidar e educar. Talvez, no começo dessa nova jornada o pai em transformação não seja dotado de todas as habilidades para que se sinta seguro em relação às responsabilidades com o bebê, mas, isso é bom, não é? Afinal, até nós, mães, sempre sentimos que poderíamos fazer mais mesmo quando já fazemos o nosso melhor. Será que existe um ponto máximo de segurança para alguma mãe e para algum pai?  Por isso, peça ajuda ao pai do bebê e permita que ele construa os laços através dos seus erros e acertos, demonstre sempre o quanto o seu papel é fundamental nos cuidados, brincadeiras e na educação desta criança.

O processo de empoderamento do pai consiste em dar espaço para que ele tenha uma paternidade ativa, elogiando suas tentativas, orientando em seus erros para que possam construir juntos uma educação positiva.

Ana Gabriela Carvalho é Coaching de Empoderamento Feminino, trabalha com mulheres empreendedoras e sua contribuição foi incrível no 2º Só Para Gestantes que aconteceu em Indaiatuba/SP, ela também ministra sessões online. Entre em contato!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s